Assinar Feed RSS Visite nosso canal no Youtube! Siga-nos no Twitter! Encontre-nos no Google Plus! Encontre-nos no Facebook!

Campus da Universidade Estadual da Paraíba (UEPB) será instalado em presídio

Enviado por , em
Palavras-chave: , , , , , ,

A Paraíba é o primeiro estado brasileiro a projetar um campus universitário dentro de um presídio. A UEPB (Universidade Estadual da Paraíba) vai inaugurar neste mês uma extensão de seu campus universitário no Presídio Regional do Serrotão, em Campina Grande, segunda maior cidade do Estado.

A iniciativa é uma parceria entre a universidade e o governo, por meio da Secretaria de Estado de Administração Penitenciária. A intenção do convênio é promover atividades nos presídios masculinos e femininos da cidade, por meio da construção de espaços específicos para a realização de atividades educativas.

Segundo os responsáveis pelo projeto, “a iniciativa é única no Brasil e tem chamado a atenção por seu pioneirismo e inovação”. No campus serão oferecidos, inicialmente, os cursos de letras, história e matemática. A estimativa é que, apenas na casa de detenção do Serrotão, quase 400 presos sejam beneficiados. O presídio atualmente comporta cerca de 1.600 detentos: 96% de homens e 4% de mulheres.

A primeira atividade do projeto foi a criação do Campus Avançado construído para abrigar salas de aula onde o detento pode desde se alfabetizar até receber diploma de graduação. O espaço abarca uma escola com oito salas de aulas, bibliotecas, berçário para os filhos das detentas, um salão multiuso, oficinas de aprendizagem, marcenaria, fábrica têxtil e fábrica para confecção de mochilas.

As ações, aponta a assessoria da universidade, “demonstram a preocupação em promover o retorno à sociedade daqueles que já cumpriram sua dívida com a Justiça, devolvendo sua cidadania, melhorando suas relações interpessoais e facilitando sua reinserção no mercado de trabalho”.

Escritório Modelo

O espaço também abrigará um Escritório Modelo de Direito e um parlatório para audiências que irão atender os detentos, agilizar o andamento dos processos e facilitar a realização de audiências. O escritório será dirigido por professores integrantes do Centro de Ciências Jurídicas (CCJ) da UEPB e contará com a ajuda de estudantes que estejam cursando a disciplina de prática jurídica.

Fonte: http://porvir.org/

Comentários

Deixe um comentário!