Assinar Feed RSS Visite nosso canal no Youtube! Siga-nos no Twitter! Encontre-nos no Google Plus! Encontre-nos no Facebook!

Em sentença inusitada, o juiz Carlos Roberto Loiola ensina como pular a cerca e comenta as novas leis de mercado dos namoros

Enviado por , em
Palavras-chave: , , , , , , , ,

Uma mulher ajuizou ação de indenização por danos morais pela surra que levou da outra namorada do homem com quem estava, com direito a puxão de cabelo e unhada.

Ao julgar o caso, o juiz de Direito Carlos Roberto Loiola, do JECiv de Divinópolis/MG, dá uma verdadeira lição sobre as novas leis de mercado no que se refere aos namoros. Ponderou: “Ele nem prá dizer que estava numa pescaria com os amigos! Foi logo entregando que estava com a rival. Êta sujeito despreocupado! Também, tão disputado que é pelas duas moças, que nem se lembrou de contar uma mentirinha dessas que a gente sabe que os outros contam nessas horas só prá enganar as namoradas. Talvez porque hoje isso nem mais seja preciso, como era no meu tempo de pescarias. Novas Leis de mercado.”

Na audiência, o homem que fazia parte do triângulo amoroso estava tranquilo, se sentindo o “rei da cocada, mais desejado que bombom de brigadeiro em festa de criança”, de acordo com a decisão. “Seu juiz, eu sou solteiro, gosto das duas, tenho um caso com as duas, mas não quero compromisso com nenhuma delas não senhor”, desabafou. E o juiz Carlos Loiola concluiu: “Estava tão soltinho na audiência, com a disputa das duas, que só faltou perguntar: ‘-tô certo ou errado?’.”

O magistrado fixaria o valor da indenização em R$ 4 mil. Porém, na audiência, a parte autora chamou a ré de “esse trem” e, por isso, o juiz decidiu minorar a condenação para R$ 3 mil, considerando que “ela também não é santa não, deve ter retrucado as agressões.”

E, para evitar futuros problemas, o julgador recomendou: “Quanto tiver na casa de uma e a outra ligar para ele, ao invés de falar a verdade, recomendo que ele diga que está na pescaria com os amigos. Evita briga, litígio, quiproquó e não tem importância nenhuma. Isso não é crime. Pode passar depois lá no “Traíras” e comprar uns lambarizinhos congelados, daqueles de rabinhos vermelhos, e depois no ABC, comprar umas latinhas de Skol e levar para a outra. Ela vai acreditar que ele estava mesmo na pescaria. Trouxe até peixe. Além disso, ainda sobraram algumas latinhas de cerveja da pescaria…E não queira sair de fininho da próxima vez, se tudo der em fuzuê ou muvuca. Isso é feio, muito feio. Fica esperto: da próxima vez que você fizer isso você poderá ser condenado por danos morais.”

Leia a sentença na íntegra:

Sentença

Fonte: http://www.migalhas.com.br/Quentes/17,MI154408,31047-Juiz+comenta+em+sentenca+as+novas+leis+de+mercado+dos+namoros

Comentários

6 comentários sobre “Em sentença inusitada, o juiz Carlos Roberto Loiola ensina como pular a cerca e comenta as novas leis de mercado dos namoros

  1. Pedro Augusto disse:

    Aberração jurídica! Imoral, sem qualquer fundamentação legal, faz graça com a desgraça dos outros.

  2. O Brasil precisa de Juízes assim! perfeito! e muito engraçado… kkkkkk

  3. Deixando a polêmica de lado, creio que deixou um bom exemplo: o Dr. Carlos relatou e decidiu o caso para as partes do processo e não para advogados, juízes, desembargadores ou qualquer outro “ator” do direito. Engraçada? Claro, mas essa decisão foi muito mais útil para quem realmente interessava que aqueles modelos guardados na gaveta e empoeirados com “juridiquês” de “doutrina”, “jurisprudência” e “dispositivos legais”.

  4. Jobson disse:

    Esse Dr. Carlos é Show de bola. rsrsrs…..Adorei a sentença.

  5. Márcio disse:

    Perfeito.

  6. Maria Teresa de souza Dias disse:

    Esse é o Dr. Carlos!!!

Deixe um comentário!